Social Icons

Featured Posts

terça-feira

Foto no currículo: sim ou não?



          O currículo é um folder profissional, que pretende vender a força de trabalho de alguém, destacando as qualificações e experiência para o mercado e deve despertar a curiosidade do empregador de conhecê-lo pessoalmente, em uma entrevista. Até mesmo alguns especialistas questionam e se contradizem no que diz respeito à inserção ou não da foto no documento. Esta é uma dúvida muito comum também para quem está procurando um emprego. 
                
          Legalmente as empresas não podem exigir fotos dos candidatos, por ser considerado de caráter discriminatório, exceto se o cargo pretendido for na carreira artística, por exemplo. Antes de colocar espontaneamente a foto no currículo e ficar de fora do processo seletivo logo de cara, é preciso estar atento a três questões:

  • O currículo com foto é exigência clara do empregador?
  • A foto demonstra profissionalismo, com luminosidade favorecendo sua aparência saudável e foco?
  • Você contrataria a pessoa desta foto?
         
          Se a resposta for “sim” para todas, inserir ou ou anexar uma foto é adequado. Entretanto, se houver uma resposta negativa a qualquer uma delas, é suficiente para que a foto não seja inserida ou anexada.
         
          Muitas pessoas se iludem, achando que uma boa imagem será decisiva na hora da seleção, mas lembre-se de que não é a sua aparência que vai ser avaliada, mas os conhecimentos e adequação ao cargo como disponibilidade, experiência anterior, habilidades, idiomas, etc. A aparência não pode fazer parte dos critérios para preenchimento do cargo pretendido, mas se houver real necessidade, a imagem deve estar coerente com o resto do conteúdo. 

          Algumas áreas de atuação, como design, artes e publicidade podem permitir um pouco menos formalidade, mas na maioria dos casos, o ideal é apresentar uma foto 3x4, somente do rosto, de frente, com semblante simpático e roupas formais, sem decotes ou cores e acessórios chamativos.

         Caso o candidato ache que foi prejudicado no processo seletivo por discriminação por raça, sexo, origem, estado civil situação familiar ou idade pode fazer denuncia ao Ministério Público do Trabalho, para que a empresa preste os devidos esclarecimentos ao descumprimento da Lei 9.029/95, que prevê punição para este tipo de segregação.

sexta-feira

Vai se formar? Saiba o que é Trainee


          O mercado de trabalho está em constante mudança; novos cargos surgem enquanto outros desaparecem em poucos anos. Um exemplo de recente inclusão neste cenário é o cargo de trainee. A palavra vem do termo de origem inglesa trainning (treinamento) e se refere ao profissional que tenha se formado há dois ou três anos em qualquer curso superior.

            O coordenador operacional do CIEE-ES, Rodrigo Nader explica, no blog do Ministério do Trabalho e Emprego, como os projetos de trainee funcionam para a formação de futuros gestores: “- Os participantes são recém-formados que entram na empresa com uma previsão de treinamento intenso, que os consolide como futura liderança. Desde a entrada na empresa ele já é um funcionário em treinamento, destinado a assumir uma função certa na empresa.”

            A captação de jovens através de projetos de trainees é uma das principais ferramentas utilizadas pelas organizações para agregar talentos, cada uma com suas próprias intenções, objetivos e recursos. O jovem que recebeu uma formação genérica é especializado de acordo com as necessidades da estrutura organizacional e não é raro ver grandes executivos que começaram assim.

            Ao contrário do estagiário, o trainee é um funcionário como outro qualquer e, consequentemente, tem todos os direitos garantidos e carteira assinada. A diferença é que ele participa de um programa de treinamento específico, passa por vários setores e é preparado para uma posição gerencial.

            Empresas que investem neste tipo de vínculo buscam, além de habilidades e conhecimento teórico, comprometimento. Estão interessadas em pessoas que tenham um objetivo de vida e plano de carreira, para que permaneçam muitos anos em seu quadro de funcionários.    

terça-feira

Os perigos do bullying corporativo


          Tudo começa com uma brincadeirinha de mal gosto ou um apelido. Tudo o que você diz é usado contra você. Você é o motivo principal das risadas no departamento. Sem perceberem, isto vira rotina e interfere tanto na vida pessoal quanto profissional. O bullying é um termo que descreve atos de violência psicológica ou física, praticado por uma pessoa ou grupo repetidamente, causando dor ou angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir a vítima. Infelizmente, tripudiar, oprimir, zombar e ridicularizar alguém sistematicamente não está restrito às escolas; a humilhação também existe nos meios corporativos.

          Pode acontecer de forma sutil ou com grosserias, gritos e exclusão do profissional em atividades que, pelo cargo, deveria estar envolvida, ou eventos informais, sem motivo aparente. As consequências vão desde a falta de motivação e queda de rendimento à insônia, depressão e outras doenças. Veja o pode ser feito para combater este tipo de comportamento nas empresas:

O Gestor

          Ao perceber, presenciar ou receber denúncia deste tipo de atitude, os chefes devem se mobilizar imediatamente e implantar um plano para recuperação do ambiente de trabalho sadio. Palestras, murais corporativos e toda correspondência interna pode servir como instrumento para disseminar os males desta prática e funcionar como prevenção. 

          Também é importante instruir os colaboradores sobre como agir quando algo deste tipo acontecer, criando canais de comunicação com os níveis hierárquicos superiores. Deve estar atento aos apelidos, códigos e sinais que poucos entendem, funcionários que ficam sozinhos e procura desculpas para não comparecer a confraternizações ou encontros da empresa. É obrigação dos gerentes e chefes implementar e manter política de tolerância zero com o bullying na sua organização ou negócio e nunca ser conivente. 


O Empregado

          Ficar posando de ovelha e ser devorados pelos lobos só piora a situação. Não ignore o bullying, denuncie e não ache que merece isso, considerando normal as coisas que lhe incomodam. Logo de início, tome uma atitude! Não se trata de gritar ou insultar o colega, mas de tomar algumas providências. Uma das coisas que funcionam, embora não seja fácil, é comunicar ao agressor as coisas que você não gosta. O funcionário também pode denunciar ao gestor, solicitar uma reunião, convocar testemunhas, enfim, reunir evidências e ir à luta pelo seu emprego e o direito de ser respeitado. 

          O bylling corporativo está configurado como uma forma de assédio moral e é de competência da Justiça do Trabalho, incluindo a responsabilidade da empresa empregadora. Estas atitudes causam sofrimento e danos à vítima se refletindo em todas os âmbitos da sua vida e precisam ser combatidas independentemente do local em que ocorram.

          

domingo

Vocação ou Profissão?


       

          Descobrir qual a profissão certa para cada perfil é um grande desafio. A vocação profissional se refere ao que a pessoa gosta de fazer versus o que ela não suporta. Quando esta conciliação não é bem sucedida, surge o estresse pela frustração, sentimento de vazio e perda de tempo e dinheiro.

         A palavra "vocação" tem origem latina e significa "voz".  Este chamamento interno corresponde ao conjunto de experiências desenvolvidas na realidade social de cada um. No momento da escolha profissional, ouvir este chamado pode ajudar o indivíduo a descobrir e desenvolver habilidades, aumentando a probabilidade de sucesso no trabalho.

          A vocação vem antes da profissão. A diferença entre os profissionais que escolheram as carreiras por vocação ou por profissão:

- Profissional por profissão: só investe em carreiras promissoras no mercado, busca empregos continuamente, faz a parte que lhe cabe da melhor maneira possível, sempre fazendo comparações entre outros profissionais e empresas.

- Profissional por vocação: busca meios para se renovar continuamente elevando o trabalho além das expectativas, percebe que não poderia estar fazendo nada diferente, cada dia tem a sensação de missão cumprida porque tornou melhor a vida de alguém.

         O estudante que está em momento de escolha de um curso superior deve procurar elementos de identificação envolvidos nas rotinas de trabalho das diferentes carreiras: o que fazem os profissionais, como fazem, onde fazem, quanto ganham, possibilidades de crescimento e tendências do mercado, além de entrevistas com pessoas que já estão atuando na sua área de interesse. A escolha não é fácil, mas lembre-se: nem sempre é definitiva!
   

quinta-feira

Universitário aos 30: porque nunca é tarde para recomeçar
























          Os dados de pesquisa de Censo do Ensino Superior do Inep mostra que um em cada três estudantes que se matriculam em cursos de graduação tem mais de 30. É nesta faixa de idade que o crescimento das matrículas tem sido mais expressivo nos últimos anos.

          Segundo os especialistas, os principais motivos da expansão do acesso destes alunos em cursos de formação superior são:

- a criação e aumento da oferta de cursos à distância  – os cursos EAD possibilitam a flexibilização dos horários, evitam perda de tempo com o deslocamento do aluno e eventuais despesas.

- busca por uma melhor colocação no trabalho – cada vez mais competitivo, o mercado de trabalho exige melhor formação, mais conhecimento e a pressão por atualização é grande. Novos modelos de gestão encorajam que o funcionário inicie ou continue os estudos, oferecendo benefícios, convênios e ajuda de custo.

- o desejo de obter uma segunda graduação – em busca do segundo diploma, os trintões, quarentões e até cinquentões estão de volta às salas de aula. Seja para ampliar os conhecimentos, alcançar uma posição melhor no mercado de trabalho, ou apostar em uma nova carreira, este é um público cada vez mais presente no banco dos “calouros”.

          Voltar aos bancos universitários é um desafio, porém não existe idade certa para entrar na faculdade. Sem se prender a estereótipos, a presença de estudantes mais velhos nas faculdades é uma tendência crescente, provando que nunca é tarde demais para buscar o conhecimento!




segunda-feira

Como evitar gafes no Amigo Secreto do trabalho


          

          O ano passou e é hora de participar da brincadeira de “amigo oculto” ou “amigo secreto” no trabalho. Já que não dá pra ficar de fora sem correr o risco de parecer antipático, todo cuidado é pouco nesta hora. O que parece diversão pode representar um problema na hora de escolher o presente ideal.
             
É preciso respeitar as regras impostas pelo grupo em relação ao valor: gastar mais pode significar que o seu “amigo” é mais importante aos seus olhos do que os outros colegas. E nem pense em gastar menos, todo mundo repara e comenta.

Definido o preço, não saia comprando qualquer bobagem inútil. Presentear alguém vai além da compra de um mero objeto, passando a representar o quanto se gosta da pessoa, praticamente uma declaração de simpatia ou admiração. Procure saber dos gostos e preferências, tenha sempre a intenção de agradar. Atenção no pacote, que deve ser o mínimo decorado, abusando de fitas, papéis coloridos, cartão de cumprimento e não deve estar rasgado ou amassado. Repassar também não é recomendado. O presente de segunda mão é facilmente percebido, porque normalmente não tem nada a ver com a pessoa que ganhou. Você corre um sério risco de ficar mal visto na empresa. Mas quais são as piores gafes a serem evitadas?

- Dar presentes íntimos – camisolas, calcinhas, cuecas, produtos para higiene pessoal ou biquínis. O clima pode ser de brincadeira, mas alguns presentes e piadinhas podem ultrapassar o limite e gerar situações de convivência difíceis no pós-evento. O espírito do “é fim de ano, vale tudo” não cabe no ambiente corporativo.

- Trocar o nome - nunca mesmo tente trocar de “amigo”. Não gostar muito de um colega ou não conhecê-lo bem não é desculpa para alterar as regras do jogo, além de ser indelicado.

- Faltar no dia da entrega – considerada falta grave, demonstra falta de respeito e comprometimento, mesmo se mandar o presente por outra pessoa.

- Contar o “segredo” - por mais incrível que possa parecer, o fato de você guardar o segredo também é observado. Quem conta pra todo mundo o “amigo secreto” será digno de tratar informações confidenciais da empresa? Não diga a ninguém, mesmo sob tortura.

Seguem algumas sugestões para quem ainda está na dúvida:

PARA MULHERES: itens de decoração, CDs ou DVDs de acordo com o estilo da pessoa, acessórios como lenços e brincos ou livros. Pense se a sua colega está grávida, casou recentemente ou outro fator que possa lhe inspirar.

PARA HOMENS: camisas básicas, vinhos, utensílios para churrasco ou hobbies. Organizadores de mesa e pesos de papéis também são boas opções.
             
            Esta simples brincadeira revela muito sobre o clima do ambiente de trabalho. O bom senso deve incluir não só os presentes, mas o traje, atitude e postura. Confraternizações são praticamente uma extensão da jornada de trabalho. Mesmo em ambiente informal o profissional deve ficar atento, pois normalmente as pessoas se soltam mais nas festas, mostrando a verdadeira personalidade. O maior inimigo: o álcool. Evite os excessos, fuja das "panelinhas" e divirta-se!


Plano de carreira: de olho nos objetivos


           Quando fazemos as coisas sem planejar corremos um grande risco de saírem erradas e você não vai querer isso para a sua vida. Fazer um planejamento de carreira não é um bicho de sete cabeças. Se você pretende ser um profissional de sucesso e ainda não tem um, é melhor começar já. O documento é um mapa da trajetória pretendida pela pessoa ao longo do exercício de alguma atividade visando ter o domínio da posição no mercado e empregabilidade.

          O plano é mais do que o gerenciamento da carreira. É um comprometimento que fazemos com nós mesmos de obter determinados bens, conhecimentos, atividades ou funções profissionais mantendo o foco nos resultados com períodos de tempo definidos. Uma meta sem um plano é só um desejo.

          O primeiro passo é ter um objetivo. Assim como você não faz uma viagem sem saber o destino, providenciar aquisição das passagens, seguro, vacinas, hotel, aluguel de veículos e roupas apropriadas, na profissão não é diferente. É preciso conhecer os cursos, ferramentas e tempo necessário para se atingir determinado cargo. Ao contrário do que muitos pensam, isto é simples e não dá muito trabalho.

          Para o acompanhamento das metas, tudo se resolve numa planilha. Descreva os alvos, ferramentas e períodos para realização das ações. Não há um modelo estabelecido, trata-se de colocar no papel o que sabemos que queremos. O chamado item de controle também é importante, porque é o marco que vai determinar o cumprimento da tarefa, como, por exemplo, obter um certificado.

Etapa 1 – Definição dos objetivos profissionais ou pessoais a curto, médio e longo prazo.

Etapa 2 – Pesquise o mercado de trabalho, concorrentes e empresas em que deseja trabalhar. Saiba tudo sobre a sua área de atuação.

Etapa 3 – Faça uma análise do eu pode oferecer ao mercado e desenvolva suas habilidades e competências pessoais.

Etapa 4 – Você é o seu produto, promova-se! Use cartões de visita, faça networking, crie um blog ou comunidade, participe de grupos com pessoas influentes, redes sociais e utilize o potencial da Internet.

 

PIT

O Pit - Programa de Integração ao Trabalho das Faculdades São José tem como objetivo preparar e integrar o aluno para o mercado de trabalho, transmitir experiência profissional através de palestras, oficinas e workshops, além de captar vagas e supervisionar os estágios, também atua dando orientações e preparando os alunos para processos seletivos de estágios e empregos.